Velocidade no Nado: 7 Passos para Êxito

  • dicas velocidade do nado

Velocidade no nado é para competidores (?). Treinar velocidade no nado só é útil para nadadores profissionais (?). Só quem quer o primeiro lugar do pódio treina velocidade no nado (?). Nados em alta velocidade não é para qualquer um (?). Estas ideias são encontradas normalmente em forma de afirmação, mas nós da Medinas as postamos como questões e apresentamos respostas. Veja abaixo.

Velocidade no nado é para profissionais ou amadores

Velocidade no nado é para profissionais ou amadores

Hum… bem… indique um nadador amador ou por hobby dizendo que nunca quis nadar mais rápido e nós mostramos uma pessoa que gosta de brincar de pescador.

Todo mundo que já caiu na água, seja pelas primeiras vezes ou há tempos, seja amador ou ocasional, já quis nadar mais rápido que na vez anterior. Isso é natural no ser humano.

O problema é que geralmente as pessoas se frustram por não conseguir. Estejam elas nadando por nadar ou nadando para ganhar, se frustram. Isso também é natural no ser humano.

Pensando nisso, a Medinas foi buscar com amigos treinadores algumas dicas para você nadar mais rápido sem sacrificar seu organismo.

1 – Trabalhe os Músculos para Ter Velocidade no Nado

Velocidade no nado depende de técnica e frequência

Velocidade no nado depende de técnica e frequência

Mas com cuidado. Seja comedido. Músculos extrapolados causam resistência na água. Lembre-se de que você quer nadar mais rápido e não participar de campeonato de halterofilismo.

Quando dizemos trabalhe os músculos, estamos nos referindo a fortalecê-los, a torná-los resistentes.

Boa velocidade no nado não é dependente de força muscular, pois há outros fatores importantes, como vamos ver abaixo. Mas músculos resistentes provocam impulsão mais consistentes.

Nota importante: há maneiras certas de fortalecer músculos. Consulte seu instrutor ou outro profissional da academia ou clube.

2 – Nado Forte Constante Não Gera Velocidade no Nado

Essa estratégia é equivocada. Excesso de força constante, mesmo no crawl, cansa o organismo antes da hora. Isso produz movimentos incertos, inseguros e irregulares.

E também interfere na potência de respiração. O cérebro passa a receber oxigênio sem qualidade e reverte suas energias para áreas específicas do corpo para buscar movimentos menos intensos.

Você precisa identificar o equilíbrio ideal entre seus movimentos e a força executada neles.

Veja neste texto em nosso blog como aproveitar os movimentos de rotação do quadril para ganhar velocidade.

3 – Observe as Bolhas que Produz

Dependendo da maneira como se movimenta e como seus braços entram na água, bolhas de ar são produzidas ao seu redor. Quanto menos bolhas, mas corretamente estão seus movimentos.

Presença de bolhas significa que sua mão e braços estão atacando a água, batendo na superfície. Os dois membros precisam acariciar a água. Consiga isso esticando os braços o mais que puder usando a técnica da rotação de quadril mencionada no texto linkado acima.

4 – Refeições e Sono

Para nadar mais rápido e a partir do momento que conseguir isso, seu organismo vai gastar mais energia. Se você não adequar suas refeições e seu sono, certamente não perceberá evolução porque seu corpo vai economizar energia.

Assim, leia este texto em nosso blog para conhecer alimentos ideais para nadadores.

Quanto ao sono, é melhor que durma de 30 a 60 minutos além do horário que habitualmente acorda. Isso vai provocar acúmulo de energia para ser gasta no momento certo.

5. Use Acessórios Adequados

Há diversos e bons acessórios que auxiliam no desenvolvimento de técnica de velocidade no nado. A Medinas dispõe de vários deles. Veja alguns.

Auxilia na percepção de horizontalidade do corpo na água. É sabido que, quanto mais horizontal o corpo estiver, menos arrasto vai sofrer.

Desenvolve os músculos dos membros superiores sem exageros que eventualmente atrapalhem os movimentos. Auxilia também na percepção de espaço ocupado.

É usado entre as pernas para corrigir defeitos de movimentação desses membros. Desta forma, os braços s
ão mais exigidos, o que favorece desenvolvimento muscular.

6 – Frequência É Importante

Mas com evolução lenta.

Frequência não é forçar. Mantenha periodicidade para que o organismo vicie nos momentos de treinos. Mas não force evolução.

A evolução deve ser lenta, de forma que o corpo não sofra consequências de esforços excessivos. Ele não tem resistência para suportar mais de três sessões semanais de treinamentos fortes. Assim, vá com calma.

7 – Grave em vídeo seus Movimentos

Se você for profissional, certamente seu técnico providenciou essa estratégia para análise posterior. Não sendo, peça para alguém gravar suas braçadas e pernadas.

Depois, analise seus movimentos, a maneira como levanta a cabeça para respirar, a própria respiração em si, as ondas e bolhas que se formam na saída e na entrada da mão e do braço na água, sua horizontalidade.

Quando você está na água, sua atenção está focada em determinadas ações e você pode não perceber detalhes falhos.

Você vai ficar surpreso com o que vai ver no vídeo.

Como você viu, velocidade no nado não é limite entre profissionais e amadores. Todos têm potencial para desenvolver técnica adequada para, cada vez mais, aumentar a rapidez dentro da água.

Mas – alertamos novamente – vá com cuidado. O potencial de cada um não tem limites, mas seu organismo tem.

Boas braçadas!

 

1 Comentário